Insônia

Gostou do artigo, então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
    1
    Share

Sobre a insônia

Insônia. Você já se perguntou por que, às vezes, o sono se apresenta como uma tarefa complicada, similar a uma missão impossível na qual você tentou milhares de fórmulas, mas sem conseguir nenhum resultado em troca?

Talvez, em sua rotina, a insônia tenha se tornado quase “da família”, estando presente noite após noite.

Lamentamos dizer isso, mas você não pode negligenciar esse problema. Não deve se levantar todas as manhãs, ver um olhar cansado em frente ao espelho e tentar se animar para enfrentar o dia como se nada estivesse acontecendo.

Para ajudar você a superar a insônia, hoje apresentamos, ao longo deste artigo, as principais informações sobre esse distúrbio, abordando suas causas, possibilidades de cura, tratamentos e remédios. Boa leitura!

O que é insônia?

É o distúrbio do sono com maior incidência sobre a população. Trata-se de uma diminuição relevante na capacidade de atingir o sono, vindo manifestar-se de diversas formas, que dão lugar a tipos específicos de insônia:

  • Insônia inicial: dificuldade em iniciar o sono no espaço de meia hora;
  • Insônia terminal: refere-se tanto à dificuldade para continuar dormindo quanto ao acordar em um horário precoce, obtendo, assim, um tempo insuficiente de descanso.

Principais sintomas da insônia

Insônia

Principais sintomas da insônia

Entre os mais importantes e frequentes sintomas experimentados pelas pessoas que sofrem com a insônia, destacam-se:

  • Impossibilidade de dormir à noite;
  • Despertar várias vezes;
  • Acordar muito cedo;
  • Não se sentir bem descansado depois do sono noturno;
  • Cansaço ou sonolência diurna;
  • Irritabilidade, depressão ou ansiedade;
  • Dificuldade em prestar atenção, lembrar e se concentrar em tarefas;
  • Aumento de erros ou acidentes;
  • Constantes preocupações sobre o próprio sono.

Insônia: causas

Insônia

Insônia: Causas

Há, de modo geral, dois tipos de causas para a insônia: médicas e externas.

Quanto às causas médicas, elas podem ser:

  • Enfermidades metabólicas e hormonais, neurológicas, cardiovasculares, reumatológicas e todas aquelas que são capazes de perturbar o sono mediante a existência de dor (fibromialgia, cefaleias etc) ou condições urológicas (tais como infecções renais e prostáticas). Nessa categoria encontram-se, também, condições exclusivamente femininas, como a menopausa e a gravidez;
  • Enfermidades psiquiátricas (ansiedade, depressão, esquizofrenia), assim como outros distúrbios do sono que contribuem para que a pessoa venha a dormir menos ou pior (síndrome das pernas inquietas, apneia do sono, parassonias etc).

Quanto às causas externas, é preciso considerar que elas geralmente envolvem fatores ambientais que influenciam negativamente no sono (como o desenvolvimento de maus hábitos de sono, uso de drogas, trabalhos em turnos alternados, viagens frequentes) e podem levar à:

  • Insônia primária: quando não é possível identificar claramente a causa do distúrbio. Esse tipo de insônia também pode ser subdividido em diferentes categorias, dependendo da manifestação e origem do problema;
  • Insônia idiopática: origina-se na infância e parece estar relacionada a um aprendizado incorreto do hábito de dormir;
  • Insônia psicofisiológica: caracteriza-se por um nível elevado de ativação psicofisiológica associada ao início do sono. A pessoa que a sofre tende a manifestar preocupação, fazendo grandes esforços para tentar dormir.

Tratamentos para insônia

Tratamentos para insônia

Tratamentos para insônia

Os melhores tratamentos para insônia são aqueles voltados a mudar hábitos inadequados e pensamentos errôneos que aumentam a preocupação e a reduzir a alta ativação emocional associada a essas variáveis.

Sendo assim, os tratamentos mais eficientes se concentram em três componentes: mudança de comportamento, alteração no padrão de pensamentos e controle emocional.

Esses tratamentos visam regular os horários, consolidando o sono em um período mais curto. Isso gera uma situação de “déficit de sono” e, assim, força o cérebro a se reprogramar.

Para atingir esse objetivo, os pacientes aprendem a:

  • Limitar o tempo passado na cama ao estritamente necessário;
  • Manter a regularidade da hora de acordar;
  • Eliminar os cochilos durante o dia;
  • Valorizar atitudes e crenças positivas;
  • Relaxar e interiorizar pensamentos benéficos e tranquilizadores.

Gostou do artigo? Sim! então compartilhe no Whatsapp este artigo com seus amigos e familiares para que mais pessoas saibam como lidar com esse problema. Compartilhar no Whatsapp

Insônia tem cura? Como curar?

Insônia

Insônia tem cura? Como curar?

Para superar esse distúrbio se tem que percorrer um caminho lento e árduo, cheio de obstáculos e com o qual você precisa de muita paciência e força de vontade.

Para que ela possa ser curada, você deve, antes de mais nada, conhecer o impacto de uma boa noite de sono sobre a sua qualidade de vida.

Afinal, dormir mal não é apenas uma questão fisiológica, mas também cultural. Portanto, é imprescindível promover mudanças em sua rotina e atividades diárias:

  • Use a cama para dormir, não para trabalhar, estudar, assistir TV, comer ou usar o laptop;
  • Preste atenção ao que você come. Alimentos ricos em gordura, farinha ou açúcar resultam em problemas digestivos que comprometem a sua capacidade de adormecer;
  • A insônia faz com que o corpo e a mente fiquem acordados e alertas por mais tempo. Tratamentos baseados em meditação e relaxamento ajudam a regular os seus ciclos de sono;
  • Invista na musicoterapia. Certas melodias farão com que você durma melhor, especialmente se forem músicas clássicas ou sons da natureza, como uma cachoeira, ondas do mar ou pássaros;
  • Evite o consumo de café, álcool, tabaco ou chá por, pelo menos, 4 horas antes de ir para a cama. Caso contrário, o seu sistema nervoso será muito estimulado e você não conseguirá relaxar o suficiente para adormecer.

Remédios para insônia

Remédios para insônia

Remédios para insônia

Ao procurar alternativas para curar a insônia, é fundamental que você evite a automedicação e sempre procure a orientação de um médico.

Lembre-se de que cada caso deve ser individualizado. Somente assim você terá acesso aos medicamentos adequados para as especificidades do seu organismo e evitará comprometer a sua saúde.

Em geral, o tempo de tratamento com fármacos é limitado, a fim de reduzir o aparecimento de efeitos colaterais indesejados.

É altamente recomendável a utilização de remédios naturais. Entre as alternativas mais eficazes e complementares ao tratamento medicamentoso, incluem-se:

  • Leite quente: contém um hormônio, a melatonina, que está relacionado ao sono profundo;
  • Valeriana: a raiz dessa planta tem propriedades sedativas que ajudam a dormir mais rápido e profundamente;
  • Tília: beber um chá dessa erva – sedativo natural e poderoso ansiolítico – antes de ir para a cama contribui significativamente para melhorar a qualidade do sono;
  • Alface: contém várias substâncias com efeitos analgésicos e sedativos;
  • Lavanda: ideal para quem aprecia aromaterapia, o odor dessa planta ajuda a relaxar o sistema nervoso, dormir e combater o estresse;
  • Flores de laranjeira: devido ao seu efeito ansiolítico e relaxante, tomar um chá dessas flores, inalar um pouco de seu óleo essencial antes de ir para a cama ou adicioná-lo à água de um banho de imersão auxilia a dormir mais tranquilamente.

Quanto tempo devemos dormir?

Cada um tem seu tempo, e há várias formas de descobrir quanto é. Dicas para dormir melhor.


Gostou do artigo, então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
    1
    Share