Distúrbios do sono

Gostou do artigo, então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os principais distúrbios do sono e como eles podem afetar sua vida

Distúrbios do sono

Os distúrbios do sono afetam uma das atividades mais importantes para a manutenção da saúde humana. Certamente, você já se percebeu cansado ou irritado após ter dormido pouco ou mal.

Esse processo afeta diretamente nosso estado mental, físico e emocional.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a falta de sono pode afetar a saúde e, portanto, sustenta que o ideal é dormir, pelo menos, 6 horas por dia.

Infelizmente, o repouso pode ser afetado por certos distúrbios do sono.

Muitas pessoas sofrem com esses transtornos em seu dia a dia. Se você está entre elas, não perca as principais informações sobre o assunto que abordamos a seguir. Boa leitura!

Tipos de distúrbios do sono

Há vários distúrbios que podem gerar dificuldades e limitar a nossa capacidade de dormir. Confira, a seguir, os principais tipos.

Insônia

A insônia é um dos mais habituais distúrbios do sono. Trata-se da incapacidade de pegar no sono ou mantê-lo durante toda a noite.

Ela afeta diretamente o cotidiano das pessoas que a sofrem, à medida que nem mesmo o acúmulo de cansaço ajuda para fazê-las dormir.

Sinais e sintomas da insônia

Os sintomas da insônia geralmente são:

  • Sonolência durante o dia;
  • Reflexos mais lentos;
  • Mau humor e irritabilidade;
  • Cansaço e fraqueza;
  • Dificuldade de concentração e memória.

Apneia do sono

Distúrbio do sono - Apneia do sono

Consiste em uma pausa na respiração enquanto a pessoa dorme. Sua duração é normalmente curta e o indivíduo volta a respirar após um ronco alto.

3 tipos principais de apneia do sono:

  • Apneia obstrutiva do sono;
  • Apneia central do sono;
  • Apneia mista do sono.

A apneia obstrutiva é a forma mais comum, apresentando-se quando o ar não pode fluir devido a uma obstrução das vias aéreas.

Sono de ondas lentas

Esse distúrbio afeta a fase 4 do sono, uma das mais profundas, quando as ondas cerebrais e o ritmo respiratório são muito lentos.

Transtornos relacionados englobam sonambulismo e terrores noturnos.

Narcolepsia

Distúrbio do sono - Narcolepsia

A narcolepsia é um dos mais conhecidos distúrbios do sono e ocorre quando há uma anomalia cerebral que altera os mecanismos neurais do sono.

O indivíduo que padece de narcolepsia pode cair no sono a qualquer hora do dia, sendo incapaz de se controlar mesmo que já tenha dormido muitas horas durante a noite.

Outros sintomas da Narcolepsia:

Sonolência Diurna Excessiva: Ocorre quando o indivíduo tem uma vontade incontrolável de dormir ou cochilar durante situações e atividades do cotidiano.

Alucinações hipnagógicas: São alucinações que acontecem ao adormecer. Quando acontecem durante o despertar são chamadas hipnopômpicas.

Paralisia do Sono: caracteriza-se pela incapacidade de se mover ou falar que ocorre logo após o despertar. Depois de passado a paralisia a pessoa sente muita ansiedade e angústia.

Alguns sintomas apresentados acima são característicos de outras doenças.

Tratamentos

Existem muitos tratamentos voltados a certos transtornos ou a condições muito específicas.

Elencamos, todavia, os principais métodos e princípios que fundamentam os tratamentos destinados a oferecer soluções adequadas para a maior parte dos distúrbios do sono.

Higiene do sono

A higiene do sono consiste, basicamente, em incorporar ao estilo de vida uma série de recomendações destinadas a melhorar o sono.

Alguns exemplos incluem a prática de exercícios durante o dia, a adoção de hábitos alimentares mais saudáveis e também criar condições ambientais favoráveis no quarto (luz, temperatura, ventilação).

Dicas para dormir melhor

  • Deite-se apenas para dormir quando estiver com sono .
  • Evite dormir durante o dia.
  • Usar cama e quarto apenas para dormir.
  • Não tome substâncias estimulantes antes de dormir: café, Coca-cola, chá, álcool.
  • Não vá para a cama com fome.
  • Não faça exercícios físicos a noite.

O quarto: um lugar reservado para dormir

distúrbios do sono

Paralelamente à higiene, é comum que os tratamentos para distúrbios do sono promovam intervenções voltadas a controlar estímulos externos.

Isso significa oferecer indicações para que o paciente torne o seu quarto um ambiente exclusivamente destinado ao sono.

O ritmo biológico é restabelecido graças à adequada relação entre horário, quarto e tempo de sono.

Relaxamento

distúrbio do sono

Nos casos em que as preocupações e a sensação de estresse ou ansiedade são as causadoras de distúrbio do sono, as técnicas de relaxamento e respiração ajudam a diminuir o desconforto físico e facilitam o repouso.

De forma complementar, pode-se aplicar algum tipo de terapia cognitiva, a fim de evitar a vigilância e a obsessão pelo adormecimento, que muitas vezes acomete aqueles que tem dificuldade em dormir.

Para fazer isso, as expectativas e crenças que o indivíduo tem sobre o que é normal são ajustadas e os pensamentos intrusivos que aumentam sua ativação emocional são eliminados.

Controle do tempo

Há vários tratamentos que são baseados no controle do tempo. Dessa forma, encontramos alternativas como despertares programados para restringir a pessoa a um número previamente determinado de horas de sono.

Por exemplo, em alguns tipos de distúrbios do sono é definido que o paciente só deve passar oito horas por dia na cama, independentemente do fato de ter ou não dormido nesse período.

Medicamentos para distúrbios do sono

Embora existam muitos medicamentos eficazes para o tratamento dos mais variados distúrbios do sono, é preciso ressaltar que todos apresentam certos níveis de risco para a saúde e, portanto, jamais devem ser adotados sem a orientação de um médico.

Hipnóticos

Medicamentos para distúrbios do sono - Hipnóticos

Os hipnóticos (ou soníferos) são os medicamentos mais utilizados pela comunidade médica para tratar os problemas associados aos distúrbios do sono.

Trata-se, basicamente, de benzodiazepínicos e análogos, todos com propriedades úteis e diferentes possibilidades de administração.

É altamente recomendável observar quanto tempo eles vão ser usados, pois são drogas psicotrópicas que, por um lado,

proporcionam bem-estar e qualidade de vida, mas, por outro, podem causar dependência psicológica e física, sobretudo, quando usadas como automedicação.

Antidepressivos

Distúrbio do sono - Antidepressivos

É uma prática bastante comum a prescrição de medicamentos antidepressivos como a trazodona (em doses baixas).

Entretanto, há poucos dados científicos que demonstram a eficácia ou segurança desse procedimento na maior parte dos tipos de distúrbios do sono.

Quando os antidepressivos sedativos são prescritos para pacientes com maiores níveis de depressão, os parâmetros subjetivos e objetivos de certos distúrbios geralmente melhoram.

Na prática, os sintomas associados à dificuldade em adormecer melhoram mais rapidamente do que os demais sintomas da depressão.

O mesmo se observa nas ocasiões em que os antidepressivos sedativos são administrados com os chamados antidepressivos “ativadores”.

No entanto, em indivíduos não deprimidos, há poucas evidências científicas de sua eficácia.

Além disso, os efeitos adversos não podem ser negligenciados: efeitos anticolinérgicos, toxicidade cardíaca, hipotensão ortostática (tricíclicos) e disfunção sexual.

Note que a relação entre dose e eficácia é pior para os tricíclicos do que para os benzodiazepínicos.

Anti-histamínicos

Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos têm efeitos sedativos. Os mais comumente empregados no tratamento dos distúrbios do sono são a difenidramina e a hidroxizina, porém, a maioria dos medicamentos indutores do sono contém pelo menos um medicamento desse tipo.

Há poucos estudos recentes acerca da eficácia dos anti-histamínicos para o tratamento dos distúrbios do sono.

Contudo, os mais antigos demonstram melhorias subjetivas e objetivas no tratamento de curto prazo (a eficácia a longo prazo não foi demonstrada).

Os efeitos adversos associados a esses medicamentos incluem a sedação diurna, o comprometimento psicomotor e efeitos anticolinérgicos.

Efeitos de tolerância e interrupção também foram observados.

Gostou do artigo? Sim! então compartilhe este artigo com seus amigos e familiares para que mais pessoas saibam como lidar com os distúrbio do sono.


Gostou do artigo, então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •